18 de mar de 2013

Capítulo 11 – De volta à Los Angeles.



Só sorriu depois que chorou na véspera
Com a mão na testa os olhos enxugou.
Sabe que sorrir é bom,
E quem não detesta sofrer a espera de quem sempre amou?
Ah, sempre há a pequena chance de o impossível rolar.
Soterrar o mundo como uma avalanche,
Só pra que possa sobrar apenas eu e você.

(Trecho de “Sua Impossível Chance” Nando Reis)          
Hotel Bavarious
15h21min
~Demi On

Voltamos para o hotel e eu fui direto arrumar as malas.
- Por que está fazendo isso? – Perguntou Joseph
- Por que eu vou me mandar daqui agora. – Murmurei agarrando os meus sapatos e colocando na mala.
- Mas e a terapia?
- Já falei com a mulher lá...
- Que mulher?
- A mulher lá! Ela disse que ia falar com o juiz de L.A. E ia arranjar uma terapeuta lá.
- Ah tá. Agora a gente vai ter que morar junto?
- Você pensa que eu tô gostando é? Por mim, eu pegaria a parte do dinheiro e me mandava.
- Aff... Eu não quero morar com você. Você já é chata no trabalho, imagina em casa!
- Claro, por que o meu sonho era morar contigo. Você é a pessoa que eu mais amo no mundo Joe. Só Que Não. – Murmurei sarcástica.
- Aff.
- Para de falar isso e vai arrumar as suas malas.
Ele me obedeceu e logo descemos para fechar a conta. Encontramos Ted no andar de baixo, entregando o cartão de crédito ao gerente.
- Já vai voltar? – Perguntou Joe a ele.
- Sim. O trabalho me chama. – Falou ele sorrindo. Ele era fofo.
- Bom, você tem meu telefone. Qualquer dia me liga. – Disse Joe, trocando um aperto de mão com ele.
- Ok. Boa sorte com o caso de vocês.
- Brigada. – Murmurei sorrindo. Ele me cumprimentou e saiu em direção à porta arrastando a mala.
Fechamos a conta e fomos ao aeroporto. Conseguimos duas passagens de última hora e voamos de volta à Los Angeles.
Aeroporto de L.A
19h14min
~Joe On

BURRO! BURRO! BURRO! Por dentro eu estava calmo, mas estava morrendo por dentro. Mas que porra, eu não devia ter feito as pazes com ela. Devia ter deixado ela ir curtir sozinha, é disso que ela gosta! BURRO! BURRO! BURRO! E onde a gente iria morar? O Kev e o Nick não iriam querer que ela ficasse no nosso apartamento, eles não deixam nem minhas namoradas ficarem lá, imagina a Demi.

20 minutos depois...

- Não tem problema nenhum, Joe. – Falou Kevin. – A Demi pode ficar aqui.
- Claro. Afinal, ela é minha cunhada. De todos os jeitos, agora. – Flou Nick, rindo e fitando a aliança de Demi.
- Você ainda não tirou isso? – Perguntei.
- Lógico que não. Quando a mulher da terapia ver, vai saber que a gente é unido.
- Ai, eu vou adorar isso. – Falou Kevin, esfregando as mãos.
- Quero ver o que o meu pai vai achar disso. Eu preciso falar com a Selena.  – Falou Demi, enrugando os lábios.
- Ela está vindo pra cá. – Comentou Nicholas.
- Ok, agora vamos filmar o casal. – Falou Kevin, tirando uma máquina do bolso.
- Pra quê? – Perguntei.
- Pra mulher lá. Da terapia de vocês. – Falou ele, como se fosse obvio.
- Ok. – Bufou Demi.
Fingi felicidade. Peguei as malas da Demi e trouxe para dentro de casa, rindo.
Kevin e Nick gargalhavam silenciosamente. Peguei Demi nos braços e a levei até o meu quarto.
Ela ria falsamente para a câmera, mas suas unhas arranhavam toda a extensão das minhas costas.
- Agora beija ela. – Sussurrou Nick, envolvido pelo riso.
Não disse nada, nem ela, pois a fita ainda estava rodando.
- Beija! – Repetiu ele.
Dei um selinho demorado nela. Foi... Estranho. Nunca imaginei que ela cederia isso. Pelo menos, não sóbria.
~Joe Off

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. OMG kkkk
    O Nick e o Kevin são uma comedia kkk
    Ri demais e amei
    Posta logo
    Beijooooos...

    ResponderExcluir
  3. Demais..
    Super Super Super..
    kkk
    Lindoooo..
    Quero ler mais..u.u..
    Beijinhooos
    <3

    ResponderExcluir

Envie um comentário e ganhe um chocolate Wonka :3